Meu Perfil
BRASIL, Homem



Histórico
 13/12/2009 a 19/12/2009
 29/11/2009 a 05/12/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 03/05/2009 a 09/05/2009
 12/04/2009 a 18/04/2009
 29/03/2009 a 04/04/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 19/10/2008 a 25/10/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 03/06/2007 a 09/06/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 18/02/2007 a 24/02/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 03/12/2006 a 09/12/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 02/10/2005 a 08/10/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 15/05/2005 a 21/05/2005
 10/04/2005 a 16/04/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 20/02/2005 a 26/02/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005
 16/01/2005 a 22/01/2005


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
Histórias de um suicida psicossomático


MEDO AMBÍGUO

ELE É O RAPAZ SEM PERNA...

Que vem toda noite na janela da minha casa,

As vezes tento olhar pra saber o que ele faz sempre nesse horário..

mas será que ele já me percebeu?

A verdade é que nunca vou saber isso,

Salvo o dia em que cruzar o seu caminho, pelo seu olhar..

Sozinho no meu quarto, fico esperando pela luz no jardim,

Assim, saberei que ele chegou pra mais uma noite de visita..

Mas ainda nem sei o que ele faz.

Na Quarta-feira, ele veio em direção à minha janela, corri...

Estava escondido atrás da minha cama, acho que ele me viu...

Porque logo atrás de mim, estava o espelho do meu guarda-roupas.

...

Há muito tempo vivo só, meus pais me deixaram a casa..

Alguns não sabem, mas eles morreram naquele acidente..

Meu pai voou pela janela e minha mãe passou por cima,

Eu chorei demais, mas hoje não choro mais..

Nunca mais chorei, acho que as lágrimas me abandonaram...

De vez em quando eu saio de casa,

Mas nunca mais vi meus amigos brincando..

Por que? Sinceramente, não sei..

Voltei pra janela e lá estava o senhor mais uma vez,

Ele olhava pros lados, como se alguém o espiasse..

Será que ele quer roubar minha casa?

Ah não! Não vou deixar que ele leve nada que me pertence

Nós somos ricos, pagarei pelos melhores advogados,

E ele vai preso..

...

Agora ele desapareceu..

Hmm ... estou escutando um barulho na porta,

Meu Deus, o que está acontecendo..?

Corri para a porta da frente, ele vinha dos fundos..

Acho que ele me ouviu, ele quer me matar,

Não posso deixar, sou novo demais pra morrer...

Consegui, já estou do lado de fora,

Mas, uma fogueira, o que será aquilo (espantado)..

Ah! Não, não, eu não acredito

Eu não queria ter visto isso..

Não é possível, não, não...

...

E pela primeira vez em anos, lágrimas caem,

A sua vista estava presente o túmulo com o seu nome,

No chão à sua direita, um papel

Não bem um papel, mas um contracheque indicado ao senhor coveiro,

Ele estava responsável de cuidar do túmulo,

Do túmulo do pequeno garoto de dez anos..

Que no momento percebeu sua vida indo embora,

Sua casa escurecia, seu quarto desaparecia..

E seus amigos,

Seus verdadeiros amigos.. Acabavam de chegar de uma festa..

E o coveiro..

.. Chorava ao seu lado..



Escrito por Kinhodorian às 23h58
[] [envie esta mensagem]




[ ver mensagens anteriores ]